Escola Secundária Rainha Santa Isabel, Porto

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Escola Secundária Rainha Santa Isabel, Porto

Detalhes do registo

Informação não tratada arquivisticamente.

Nível de descrição

Subfundo   Subfundo

Código de referência

PT/MESG/RAE/ES3AH-ESRSI

Título

Escola Secundária Rainha Santa Isabel, Porto

Datas descritivas

1935-[s.m.]-[s.d.] / 2002-[s.m.]-[s.d.]

Dimensão e suporte

123,86 ml; papel

Produtor descritivo

Portugal, Ministério da Educação, Direcção Regional de Educação do Norte, Escola Secundária Alexandre Herculano, Escola Secundária Rainha Santa Isabel, Porto.

História administrativa/biográfica/familiar

No ano letivo de 1933 - 1934, o Liceu Carolina Michaelis desdobrou-se numa pequena Secção constituída por um núcleo de professores, alunos e funcionários - Secção do Liceu Carolina Michaelis. Começou por funcionar num edifício antigo na Rua de Santa Catarina, Porto, e daí passou sucessivamente para a Rua de D. João IV e a 1 de Novembro de 1938, para o velho palacete situado na confluência da Rua do Heroísmo e Rua de António Carneiro. Este edifício pertencia ao Conde de Monte Belo e atualmente é ocupado pela Direcção Regional de Educação do Norte (DREN). Aqui se manteve por longos anos como "Liceu" feminino, com uma população escolar de cerca de 400 alunas, 20 professoras, 5 empregadas e 2 funcionárias na Secretaria.Pelo Decreto-Lei n.º 35 905, de 12 de Outubro de 1946, foi criado o Liceu Rainha Santa Isabel, substituindo a Secção do Liceu Carolina Michaelis e destinado exclusivamente à frequência feminina. O novo Liceu ficou instalado no mesmo palacete onde funcionou a secção feminina do Liceu Carolina Michaelis. Foi nestas instalações que se manteve o Liceu durante cerca de 16 anos, até à inauguração do novo edifício, que ocorreu no ano letivo de 1962-63.O edifício destinava-se a substituir as já degradadas instalações do velho palacete. Fora concebido para 700 alunas, mas logo no ano letivo de 1964-65 o palacete voltou a ser de novo Secção de um estabelecimento de ensino, mas desta vez, do Liceu Rainha Santa Isabel. Assim se manteve até 1990, altura em que foi ocupado pela DREN.A partir do ano lectivo de 1975/76, o Liceu Rainha Santa Isabel, passou a designar-se Escola Secundária Rainha Santa Isabel. Neste mesmo ano , o quadro docente passa a integrar professores do sexo masculino e, no ano letivo imediato, a frequência da escola passa a ser igualmente mista.

Âmbito e conteúdo

O fundo da Escola Secundária Rainha Santa Isabel é constituído por 10 séries documentais pertencentes às secções: Recursos Humanos; Ação Social Escolar; Atividade Científico-Pedagógica; Pessoal Discente.

Sistema de organização

A organização das séries documentais inventariadas segue a estrutura adotada pela Portaria de Gestão de Documentos n.º 1310/2005, de 21 de Dezembro.

Condições de acesso

Documentação sujeita a autorização para consulta.

Idioma e escrita

Português

Características físicas e requisitos técnicos

Bom estado de conservação.

Localização

Arquivo em fase de instalação definitiva.

Unidades de descrição relacionadas

Relatórios de actividades escolares dos reitores dos liceus (SR);Relatórios de actividades dos professores (SR).

Notas de publicação

Referência bibliográficaESCOLA SECUNDÁRIA ALEXANDRE HERCULANO (ESAH) - A escola: história Escola Secundária Rainha Santa Isabel [Consult. 18 Out. 2010]. Porto: ESAH, 2010.MOGARRO, Maria João - Arquivos e Educação: a construção da memória educativa. In Sísifo: Revista de Ciências da Educação. Lisboa. N.º 1 (Set./Dez. 2006). p. 71-82.

Entidades detentoras de unidades arquivísticas associadas

Portugal. Ministério da Educação. Secretaria-Geral. Direcção de Serviços de Documentação e de Arquivo.