Escola Secundária António Sérgio, Vila Nova de Gaia

Available actions

Reader available actions

 

Escola Secundária António Sérgio, Vila Nova de Gaia

Description details

Record not reviewed.

Document not available to perform requests.

Description level

Fonds   Fonds

Reference code

PT/MESG/RAE/ESASG

Descriptive dates

1884-[s.m.]-[s.d.] / 2009-[s.m.]-[s.d.]

Dimension and support

177,90 m.l.; papel

Holding entity

Secretaria-Geral do Ministério da Educação e da Ciência

Producer

Portugal, Ministério da Educação, Direção Regional da Educação do Norte, Escola Secundária António Sérgio.

Biography or history

A Escola de Desenho Industrial Passos Manuel teve origem a 29 de Dezembro de 1884, na Rua Barão do Corvo. Estavam inscritos 107 alunos, aumentando para 209 na semana seguinte. No princípio de Dezembro saiu a portaria que dava o patrono à Escola, Passos Manuel, nome que só desapareceria em 1951. Também nesse mês, dia 8, foi colocado como Professor e Diretor da Escola o Sr. Alfredo José Torquato Pinheiro. O guarda António Gonçalves Júnior foi colocado por Portaria de 8 de Janeiro de 1885. O Ensino de Desenho dividia-se em Elementar e Industrial, o primeiro diurno e o segundo noturno. O Ensino Elementar era composto por duas classes, classe preparatória e classe complementar. O Ensino Industrial era dividido em dois ramos, ornamental e arquitetural. A Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Santa Marinha cederam, em 1887, ao Inspetor parte do edifício das Escolas Paroquiais, para solucionar o problema das más condições na Escola Passos Manuel na Rua Barão do Corvo. Em 1889, o Diretor Alfredo José Torquato muda-se para outra escola, vindo o substituir Theodoro Pinto dos Santos Fonseca, ocupando o cargo durante dois anos. Posteriormente este foi substituído por António Santos Pousada, que se manteria até 1912.O importante Decreto n.º 5029, de 1 de Dezembro de 1918, coloca a Escola na categoria de Escola Industrial Elementar de Artes e Ofícios. O seu ensino devia ser inteiramente prático e acessível a todos os operários, mesmo analfabetos. Uma vez que a Escola devia estar virada para as características e necessidades do meio, entendeu-se que a cerâmica continuaria a ser determinante no currículo. A Escola passou a chamar-se Escola de Cerâmica Passos Manuel. Era seu Diretor Abílio Francisco Pereira, que já detinha o lugar desde 1912, sendo substituído por António Ferreira da Costa em 1920.O Diário de Governo publicou o Decreto n.º 10.273 de 10 de Novembro de 1924, afirmando no seu art.º 1.º: “É convertida a Escola Cerâmica Passos Manuel, de Vila Nova de Gaia, em Escola Industrial e Comercial, que passará a denominar-se ESCOLA Industrial e Comercial de Passos Manuel, Vila Nova de Gaia, a qual ministrará numa secção industrial o ensino de carpintaria e tanoaria, cerâmica e trabalhos femininos e numa secção comercial o ensino das escolas comerciais”. A Escola muda-se para um prédio antigo cedido pela câmara, na Rua Cândido dos Reis. O Diretor Sousa Caldas sai por não ter disciplinas de modelação para lecionar. O seu lugar foi ocupado por pouco tempo por José A. Rodrigues Praça e João da Silva Matos. O Eng. Jorge Faria Vieira de Araújo seria, por muitos anos o Diretor a quem coube, a partir de 1931, conduzir a Escola. O Decreto n.º 36.409, de 11 de Julho de 1947, criava uma Escola Técnica Elementar em Gaia, destinada ao lançamento de um ciclo preparatório, designada por Escola Técnica Elementar Passos Manuel.Em 1948, o Decreto n.º 37.029, declara que a Escola Industrial e Comercial Passos Manuel, passa a denominar-se Escola Industrial e Comercial Teixeira Lopes. Funcionavam duas escolas no mesmo edifício: Escola Técnica Elementar Passos Manuel e Escola Industrial e Comercial Teixeira Lopes. Dá-se a fusão das duas Escolas, pelo Decreto n.º 38.277 de 31 de Maio de 1951, como Escola Industrial e Comercial de Vila Nova de Gaia. Finalmente em 1952, avançou-se na construção do edifício no Jardim Soares dos Reis. A Escola inicia os trabalhos no edifício novo no dia 10 de Agosto de 1955. Em 1962 o Eng. Vieira de Araújo foi substituído pelo Eng. António Lopes S. Roseira, que se manteve no cargo até ao 25 de Abril.Pelo Decreto-Lei n.º 80/78, de 27 de Abril de 1978, passa a ter a designação de Escola Secundária, passando a designar-se Escola n.º1 de Vila Nova de Gaia, pela Portaria n.º 608/79, de 22 de Novembro de 1979.Mais tarde, passa a adotar o patrono António Sérgio, pelo seu nome merecer a correspondente dignificação, passando a designar-se Escola Secundária António Sérgio, pela Portaria n.º 933/84 de 18 de Dezembro de 1984. Comemorou o centenário em 29 de Dezembro desse ano. Atualmente, a Escola, situa-se no centro de V. N. de Gaia, na freguesia de Mafamude, na Avenida Nuno Álvares, junto ao Jardim Soares dos Reis.

Scope and content

O fundo da Escola Secundária António Sérgio é constituído por 24 séries documentais pertencentes às secções: Administração e Gestão; Funcionamento Geral; Recursos Humanos; Recursos Financeiros; Informação e Comunicação, Atividade Científico-Pedagógica; Pessoal Discente.

Arrangement

A organização das séries documentais inventariadas segue a estrutura adotada pela Portaria de Gestão de Documentos n.º 1310/2005, de 21 de Dezembro.

Access restrictions

Documentação sujeita a autorização para consulta.

Language of the material

Português

Physical characteristics and technical requirements

Bom estado de conservação

Location

Arquivo em fase de instalação definitiva.

Related material

"Relatórios de actividades escolares dos reitores dos liceus"."Relatórios de actividades dos professores".

Publication notes

ESCOLA SECUNDÁRIA ANTÓNIO SÉRGIO - Projecto Educativo 2008/2009. Vila Nova de Gaia: ESAS, 2008. MOGARRO, Maria João - Arquivos e Educação: a construção da memória educativa. In Sísifo: Revista de Ciências da Educação. Lisboa. N.º 1 (Set./Dez. 2006). p. 71-82.

Holding entities of associated archival units

Portugal. Ministério da Educação. Secretaria-Geral. Direção de Serviços de Documentação e de Arquivo

Notes

A descrição do fundo realizada tem por base o inventário parcial realizado no âmbito do projeto BAME (Bibliotecas, Arquivos e Museus da Educação).